Morphophysiological Analysis of Keratobranchial Bone II located in the Hyoid of the Green Turtle (Chelonias mydas) found in Peruíbe, South Coast of Brazil, Mosaic of Conservation Units-Juréia-Itatins and APACIP

Análise Morfofisiológica do Osso Keratobranquial II localizado no Hyoid of the Green Turtle (Chelonias mydas) encontrado no Peruíbe, Litoral Sul do Brasil, Mosaico de Unidades de Conservação-Juréia-Itatins e APACIP

Authors

  • Edris Queiroz Lopes
  • Tatiane Gonçalves de Lima
  • Luana Félix de Melo
  • Rose Eli Grassi Rici

DOI:

https://doi.org/10.53499/sfjeasv1n4-002

Keywords:

anatomy, histology, morphology, tomography

Abstract

The green turtle (Chelonia mydas) present in tropical seas, uses as a feeding area the coastal region of Peruíbe, has the skull as a relatively large and solid structure, and a strong jaw formed by the junction of small bones as it has very abrasive feeding. By applying scanning electron microscopy techniques, it was possible to identify the presence of a bone structure located in the hyoid in the ventral region of the skull along with the mandible of juvenile individuals of green turtles, and as there is no related research, it was necessary to perform a CT scan, decalcification and histology of the quelonian hyoid, to discover the morphological composition of this new structure, described only in the species Chelonia mydas. Thus, the morphology of the structures and its confirmation as a real bone, with characteristic of spongy bone, described as certobranchial II, was confirmed, thus helping researchers to seek other ways to understand the feeding processes of these animals that are going through a series of serious environmental problems and therefore perhaps having to change their eating habits to overcome the high level of pollution that we are finding in the oceans.

 

RESUMO

A tartaruga verde (Chelonia mydas) presente nos mares tropicais, utiliza como zona de alimentação a região costeira do Peruíbe, tem o crânio como uma estrutura relativamente grande e sólida, e uma mandíbula forte formada pela junção de pequenos ossos, uma vez que tem uma alimentação muito abrasiva. Aplicando técnicas de microscopia electrónica de varrimento, foi possível identificar a presença de uma estrutura óssea localizada no hióide na região ventral do crânio, juntamente com a mandíbula de indivíduos juvenis de tartarugas verdes, e como não existe investigação relacionada, foi necessário realizar um TAC, descalcificação e histologia do hióide quelónico, para descobrir a composição morfológica desta nova estrutura, descrita apenas na espécie Chelonia mydas. Assim, a morfologia das estruturas e a sua confirmação como um osso real, com característica de osso esponjoso, descrito como certobranchial II, foi confirmada, ajudando assim os investigadores a procurar outras formas de compreender os processos de alimentação destes animais que estão a passar por uma série de graves problemas ambientais e, por conseguinte, talvez tenham de alterar os seus hábitos alimentares para superar o elevado nível de poluição que estamos a encontrar nos oceanos.

Published

2021-11-04